quarta-feira, junho 27, 2007

Dawkins, Newton-Freire Maia e Michael Behe - A minha história



Há uns anos atrás quando as minhas angústias não conseguiam mais se calar, resolvi buscar respostas a minha fé, respostas não àquelas que se compra em banca de revista, respostas capazes de calar os anseios de minha alma. Enganam-se muitos os críticos da fé que dizem que a fé não admite dúvidas, em todos aqueles que buscam respostas vive o dilema Agostiniano “Credo Utt intelligam” creio para compreender... A fé em busca de compreensão... Máxima de Sto Anselmo.

A fé que lança fora às dúvidas é uma fé infantil, enlatada; do tipo “Fast-food”, fruto da digitalização do pensamento e do agir humano, não tenho medo e muito menos vergonha de dizer, que a minha luta em busca da compreensão do mundo e do homem é uma busca em um constante devir... Achei algumas respostas e tantas outras estou à procura... Na busca do homem por esta plena compreensão do mundo não podemos recorrer ao “Google” celestial, não é uma compreensão digital, mas totalmente relacional, nos abrimos para o outro e juntos de maneira plena buscamos respostas. E uma destas “aberturas” conheci uma pessoa que me descortinou uma nova perspectiva, justamente quando o Darwinismo estava fazendo de mim um “seletor natural” descartando tudo sem mais nem menos, como se tudo fosse um mero fruto do acaso, tempo e seleção natural. Este amigo me apresentou uns livros para ser mais exato três, três perspectivas, três visões “diferentes” do mesmo fenômeno a Vida... Estes meus novos amigos foram:


* Richard Dawkins ― O Relojoeiro cego – A teoria da evolução contra o desígnio divino


* Newton-Freire Maia ― Teoria da Evolução: De Darwin à Teoria Sintética

* Michael Behe ― A caixa preta de Darwin – O desafio da Bioquímica a teoria da evolução

Os li exatamente nesta ordem, vale reiterar que todos foram muito elucidativos, me deram novo alento, uma nova resposta para velhas buscas. Respostas estas que não estão prontas, não receberam o carimbo “Made in Brazil” e muito menos o número de lote e validade, quem tem resposta para tudo é Dawkins e Cia Ltda. As minhas estão em processo, Behe e Newton-Freire se mostraram cientistas, objetivos claros, Dawkins e sue relojoeiro está mais para “Forrest Gump” eu até posso levar a ele esta sugestão; Forrest Dawkins lhe caberia melhor. A sua ânsia de destronar o “desígnio divino” e levou a um pecado a lesê mejesté, falta-lhe a objetividade clareza e resposta diante das evidências, como se mostrara Newton Freire e Michael Behe.

A todos que estão enfrentando as mesmas indagações que eu, aconselho a leitura destes três, são boas companhias; até mesmo Dawkins com ele aprendi que não bastar criticar, temos de ter respostas convincentes e não meramente com ansiedade quase que incontrolável ludibriar com exemplos que não resistem diante das evidências.

Só para deixar as coisas um pouco mais claras; Dawkins ateu e evolucionista, Newton-Freire teísta evolucionista e Michael Behe teísta teórico do Design inteligente.

http://www.apologetics.org/portugues/storyteller.html






Um comentário:

Ademar Freire Maia disse...

Se voce gostou do livro sobre evolução de Newton Freire-Maia, entao não pode deixar de ler o ultimo livro dele: "VERDADES DA CIENCIA E OUTRAS VERDADES - A Visão de um Cientista".